imprensainvestigativa

15 de junho de 2011

Dinheiro sujo no esporte

Filed under: Esporte — imprensainvestigativa @ 20:21

(Por I. Leite e R. Camilo)


O crime está migrando para o esporte. Segundo uma reportagem que saiu no dia 1º de julho de 2009, no site da agência de notícias Reuters, o futebol está sendo cada vez mais utilizado pelos criminosos para lavagem de dinheiro e sonegação de impostos. Tudo isso só é possível graças a dificuldade financeira em que muitos clubes se encontram. O futebol está atraindo o olhar dos criminosos devido a transações milionárias de jogadores entre países. Mas o futebol não é único escolhido para a prática ilegal. A corrida de cavalos também está na tabela, junto com o rúgbi, críquete e automobilismo.


Confira abaixo uma entrevista com Leandro Carvalho Pinto, chefe e diretor da área de comunicação do Praia Clube São Francisco sobre o assunto. 


1. Leandro, você que acompanha o esporte há muito tempo, a corrupção é um mal dentro do esporte?

R: Depende de que tipo de corrupção se esteja falando. Esportivamente, acho muito difícil um atleta entregar o jogo. Administrativamente, seria um mal, mas provar a corrupção é mais difícil do que ver cabeça de bacalhau!


2. Leandro, você tem esperança de que a corrupção um dia acabe?

R: Sim, na sociedade como um todo. Mas, não acabará enquanto a própria sociedade não compreender que não pode dar esmola ao mendigo, ao guardador de carro, ao funcionário público para ter o documento mais rápido, ao cambista. O mal vem da própria sociedade, a mesma que clama pelo fim. Por isso o ciclo se renova sempre, os vícios ficam e os corruptos se mantêm.


3. Em 2007, com a realização do Panamericano, houve superfaturamento e desvio de recursos públicos nas obras? Com esses problemas, valeu a pena a realização do Panamericano?

R: Todo e qualquer evento esportivo de porte, de vulto internacional, é válido de ser feito. Custe o que custar, a relação custo x benefício sempre será maior para o cidadão. Londres 2012 está superfaturada, a Copa da Alemanha teve também seus problemas, a Copa da África relatou diversos casos piores do que este. O grande mal é que a nossa imprensa tem mania de veicular o que vende, e desgraça vende! Por que não falar do parque aquático Maria Lenk, do Engnhão, do ginásio na Barra, de quanto trouxe de fomento ao comércio local o turismo gerado pelos jogos ou quanto foi benéfica às nossas crianças – em tempo de guerra urbana, de drogas e favelas – a paz e a segurança que tivemos na cidade? Isso não tem preço! O esporte atua como moderador político em nosso país e em vários outros. E o dinheiro envolvido nisso cresce a cada dia mais. E entre a alienação do romantismo apaixonado do torcedor e a consciência crítica do jornalismo atual, prefiro um meio termo.


4. Então, o que você espera da copa do mundo de 2014 e das olimpíadas em 2016?

Um exemplo de como se faz esporte, de como se vive esporte e como se pratica esporte e cidadania em nosso país. Espero, sinceramente, muitos problemas até lá. Mas na competição tudo vai correr muito bem.


5. Com sua experiência em cobertura de beira de campo, você já testemunhou algo de estranho dentro do gramado? ‘Corrupção’?

Não sei por que tamanha recorrência em relação a corrupção. Nada vi de estranho, mas cansei de saber de jornalista que “vende” a matéria para clube e jogadores e o absurdo sequer é relatado. Quer jornalista mais vendilhão do que o Milton Neves? Ou mais merchandising maior do que o do Garotinho? Algum deles falaria mal de seus patrocinadores se estivessem envolvidos em escandalos? Não creio! Sabe por quê? Dependem dos mesmos. Tudo é um grande jogo de interesses e, se você não souber se manter à margem, se envolve! Talvez seja por isso que estou à margem da mídia esportiva atualmente!


6. Você, sendo vascaíno fanático, concordava com a administração de Eurico Miranda?

Depende. Administrativamente, não. Politicamente, não. Financeiramente, não. Mas, esportivamente, não há como negar que ele teve competência para montar e desmontar vários times vencedores como diretor de futebol. E o Vasco conquistava títulos. Na balança, prefiro o Dinamite, mas não acho que Eurico foi todo esse vilão que a “Flapress” vende!


7. Leandro, na sua opinião existe mesmo a máfia do apito ?

Existe um jogo de interesses… Fulano, amigo de ciclano, que escala beltrano. Favores e coisa e tal, mas grana viva não creio que role!


8. Na final da Taça Guanabara em 2008, Flamengo X Botafogo, você acha que o Flamengo foi favorecido?

Sim, por erros de arbitragem que qualquer ser humano comete. Não deliberadamente! Se assim for, passem em um blog e lá acharão mais respostas para tais casos.



9. No Brasileirão de 2005, com aquele escândalo de corrupção, o que aconteceu na verdade, na sua opinião?

Aconteceu que usaram o Edílson para cobaia, encobrindo o dinheiro que o Kia colocou na real para ver o Corinthians campeão. Ele era a peça menor da engrenagem e o único que pagou o pato! De Ricardo Teixeira a Conaf, nesse ano, não safo ninguém.


10. Hoje saiu uma manchete no Globo que cita o presidente da FIFA, Joseph Blatter, envolvido em um esquema de corrupção. Na sua opinião, a corrupção está em todos os lugares?

Sim, em todos os lugares. Principalmente onde as somas envolvidas são maiores. Isso administrativamente. Esportivamente, creio que o doping financeiro seja só positivo. Ou seja, paga para ganhar, a famosa “mala branca”. Nossa cultura mostra que o perdedor não é lembrado, detestamos perder até par ou ímpar. Na minha maneira de pensar, se perdemos, somos zoados. Profissionalmente, creio que o dinheiro circule muito maior nas UEFAS da vida e não em campo, mas sim para tal time jogar ou tal time disputar a Copa do Brasil, por exemplo (cabide de votos da CBF).


11. Na sua opinião, qual é o maior escândalo de corrupção da história dentro do esporte?

As papeletas amarelas, de 1986, quando o então presidente George Helal, do Flamengo, anotava em uma caderneta de folhas amarelas os valores de propinas pagas.


Links Externos:

Reportagem sobre lavagem de dinheiro no esporte
Blog de Leandro Carvalho Pinto

Anúncios

13 de junho de 2011

Sangue, suor e drogas

Filed under: Esporte — imprensainvestigativa @ 14:22

Atletas usam drogas para melhorar potencial nas competições


(Por I. Leite e R. Camilo)


Os atletas são verdadeiros super-homens, fazem de tudo para superar seus limites e recordes anteriores. Entre esses e aqueles limites, a necessidade de ser campeão em todos os torneios que disputam, e sempre o melhor de todos, surge a angústia. Para se tonarem os melhores, cada vez mais atletas vêm ultilizando suprimentos alimentares e substâncias químicas para melhorar o redimento.


A pressão por resultados é uma das mais frequentes explicações dos atletas para o início do uso das substâncias não permitidas desportivamente.


Entrevistamos o jornalista Gutemberg Barbosa sobre o assunto. Você assiste a entrevista no vídeo abaixo.

 

Fraudes do apito mudam o campeão brasileiro

Filed under: Esporte — imprensainvestigativa @ 13:51

A CBF decide anular os jogos apitados pelo árbitro Edílson Pereira

Escândalo da arbitragem foi notícia nos jornais de todo o mundo

 

(Por I. Leite e R. Camilo)

Em 2005, todos os jogos do Campeonato Brasileiro foram anulados após a descoberta da ‘máfia do apito’. O árbitro Edílson Perreira de Carvalho foi banido do futebol após assumir o crime de manipulação de resultados para favorecer apostadores de loterias clandestinas realizadas via internet. 



Segundo a investigação realizada pela Polícia Federal na época, o esquema foi realizado pelo empresário Nagib Fayad e outros três cúmplices ligados ao ramo de apostas no Brasil. Os nomes dos outros envolvidos ainda são mantidos em sigilo pela Polícia Federal. O árbitro recebia cerca de R$ 15 mil por jogo apitado. Estima-se que o lucro supere R$ 1 milhão no período. 

 

No dia 24 de setembro de 2005, o árbitro Edílson Pereira de Carvalho e o empresário Nagib Fayad foram presos de madrugada. Outro árbitro envolvido é Paulo Danelon, que apitava os jogos do Campeonato Brasileiro da série B. De acordo com as investigações, ele seria o responsável pela apresentação de Carvalho ao empresário do ramo de jogos. Em depoimento prestado à polícia, o árbitro afirmou ter participação no esquema. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) informou em nota o afastamento dos dois árbitros do seu quadro de arbitragem. Durante o ano de 2005, Edílson Pereira apitou vinte e cinco partidas, onze do Campeonato Brasileiro. A CBF encarregou-se de comunicar à Fifa sobre o caso e pediu o afastamento de Edílson do quadro de arbitragem internacional.

 

O presidente da Comissão de arbitragem da CBF, Luiz Zveiter, disse que as partidas realizadas pelos dois árbitros serão canceladas. A Associação Nacional dos Árbitros de Futebol – Anaf – divulgou nota de repúdio ao escândalo da arbitragem no futebol e mostrou que está disposta a revitalizar a imagem da classe perante o público. O Clube dos 13, entidade que reúne vinte dos principais times do país, queria evitar uma virada de mesa após os escândalos. 

 

O presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Luiz Zveiter, anunciou a anulação dos onze jogos apitados pelo árbitro Edílson Pereira de Carvalho no Campeonato Brasileiro. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) escolheu datas para a repetição de oito dos onze jogos anulados pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) após a descoberta do esquema de manipulação de resultados. Cabe reforçar que essa modalidade de apostas é  proibida no Brasil.  



Veja quais foram os jogos na tabela abaixo:

2/10

Vasco x Figueirense 

Cruzeiro x Botafogo 

Santos x Corinthians 

Juventude x Fluminense 

19/10

Vasco x Botafogo 

Juventude x Figueirense 

Paysandu x Cruzeiro 

Ponte Preta x São Paulo 

São Paulo x Corinthians 

Fluminense x Brasiliense 

Internacional x Coritiba 



Assista ao vídeo sobre o escândalo de 2005



Assuntos relacionados:

Escândalos internacionais (links externos):

Juventus quer revisão de escândalos de arbitragem

Ex-jogador depõe sobre escândalos na arbitragem

Justiça condena réus da “Máfia do Apito” a pagarem R$ 180 milhões

Esperança da seleção é acusado de assassinato

Filed under: Esporte — imprensainvestigativa @ 13:33

O goleiro Bruno Fernandes era tido como provável substituto de Julio Cesar, após as faltas cometidas na última Copa do Mundo

(Por Inara L e Raul C.)


Dentre os casos mais assombrosos envolvendo atletas, o episódio com Bruno Fernandes, goleiro do Flamengo à época, foi um dos que mais chocaram a opinião pública e a mídia, com destaque no Brasil e no exterior.

 

O jornalista Giovani Pagotto, que trabalha atualmente no jornal O Fluminense, faz aqui um resumo do caso. 

 

O jornalista Giovani Pagotto, do jornal O Fluminense

“Em julho de 2010, o ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes, 26 anos, teve seu nome estampado na primeira página de todos os jornais do Brasil. Contra ele pesava a acusação ter matado sua ex-amante, Eliza Samudio, com quem teve um filho. O primo de Bruno, um adolescente de 17 anos, afirmou à polícia que a jovem foi assassinada e disse ter participado do sequestro. A jovem já havia prestado queixa contra o goleiro em outubro de 2009, na Delegacia de Atendimento à Mulher. Na época, a vítima teria denunciado Bruno por agressão, afirmando, ainda , que ele a teria obrigado a tomar uma bebida abortiva.

 

Bruno entregou-se à policia no dia 7 de julho com o amigo Luiz Henrique Ferreira Romão, vulgo Macarrão. O atleta foi afastado do Clube de Regatas do Flamengo, no dia 28 de junho do ano passado.


A esposa de Bruno, Dayane Rodrigues, foi presa por entregar o filho de quatro meses de Eliza a terceiros, no dia 24 de junho. Neste mesmo dia, a polícia de Minas Gerais recebeu a denúncia de que uma jovem teria sido assassinada no sítio do goleiro. Wemerson Marques, vulgo Coxinha, funcionário do sítio, também teve a prisão decretada. Ele teria recebido a criança das mãos de Dayanne e a entregado a terceiros.

 

O primo do goleiro, Sérgio Rosa Sales, também teve participação no crime. Segundo uma testemunha, ele teria vigiado Eliza quando ela chegou ao sítio e a obrigou a ligar para uma amiga de São Paulo ou, “caso contrário, ela morreria”. O adolescente de 17 anos apontou ainda, em seu depoimento, que foi Marcos Aparecido dos Santos, conhecido como Neném, Bola ou Paulista, um ex-policial civil, quem teria matado Eliza por asfixia, em sua casa. Segundo os policiais, Neném teria esquartejado o corpo e jogado alguns pedaços para cães da raça Rotweiller. Todos os acusados foram presos e aguardam julgamento. Apesar de ter sido feita uma grande investigação por parte da polícia e uma grande cobertura da mídia sobre o caso, o corpo de Eliza Samudio não foi encontrado até o momento. O advogado de Bruno entrou várias vezes na justiça com pedido de habeas corpos, mas foram todos negados.”

 

Atualmente o ex goleiro preso na Penitenciária de Segurança Máxima Nelson Hungria, em Contagem, na Grande Belo Horizonte, onde aguarda o seu julgamento. Muitas fãs vão ao local em tentativa frustrada de ver o ídolo. Bruno virou celebridade na cadeia, além de dar autógrafos ele posa com os agentes penitenciários para fotos. Antes o Goleiro e seu amigo o Macarrão se encontravam durante os banhos de sol, porém com a transferência de Macarrão eles estão á um mês sem contato.

 

Após um ano do desaparecimento de Eliza Samudio, a mãe da modelo, Sônia de Fátima Moura, ainda briga na justiça pela guarda de seu neto. Segundo sua advogada, Maria Lúcia Borges, ela tem 100% de chances de conseguir a guarda de seu neto.

 

Ouça a entrevista com o jornalista Giovani Pagotto aqui.

 

Outras informações sobre o caso aqui (link externo).